15 fevereiro, 2008


tempestade e um homem logo alí
de um farol
se observa
em meio a
uma chuva de
raios, ondas e
devaneios,
o suicídio
do homem
as engrenagens/apuram os/sentidos e/a água do mar
/não limpa/a cara encardida/do humano.
os membros não
obedecem mais.
no rosto,
um sorriso
lânguido
mostra a construção
da falta
de realidade
do ser
eminente de morte
prestes a ruir.
-Luís Machado-

5 Comments:

Anonymous Márcio said...

e o mar?

15/2/08 14:59  
Blogger Suhelen said...

tempestade marítima de sorrisos e chuva!

massa!

19/2/08 12:33  
Blogger Pauliccia said...

devaneios, ah devaneios... . .. .. .

21/2/08 23:00  
Anonymous Marimbondo Amarelo said...

Tolos...

28/2/08 12:45  
Blogger ImaGINE said...

saudades das corridinhas insanas pra abraçar o Luís!

belo texto!
Tô sem inspirações...
=**

8/3/08 17:46  

Postar um comentário

<< Home